Skip to main content


"No começo, eu tinha questões sobre esse movimento e dúvidas, por exemplo, sobre o slogan 'Libertem Hong Kong, a revolução de nossos tempos'. Agora não me importo mais, qualquer que seja o slogan que eles queiram gritar, que gritem".